65 99230 9678 | 65 3055 2070

CUIABÁ

ECONOMIA

Veja como se preparar para conseguir empregos relacionados ao 5G

Publicados

ECONOMIA


source
Fábio Faria, ministro das Comunicações
Isac Nóbrega/PR

Fábio Faria, ministro das Comunicações

A chegada do 5G, a nova geração de telefonia móvel abre espaço para empregos do futuro e deve gerar 670 mil novas vagas até 2025. As empresas de educação já começaram uma corrida para incluir a tecnologia em sua programação curricular e conquistar quem quer aumentar as chances de conquistar as vagas.

A PUC-Rio, por exemplo, criou o curso de extensão “Fundamentos de Sistemas de Comunicações 5G” apenas para graduados em engenharia, matemática, física, ciência da computação, além de profissionais de empresas de telecomunicações.

Mas Rodrigo de Lamare, coordenador do Laboratório de 5G da instituição, diz que haverá cursos no segundo semestre para profissionais que não tem formação técnica, como advogados, médicos, jornalistas e outras profissões.

“Todo mundo vai usar o 5G. É um sistema mais moderno, com maior capacidade de transmissão de dados. O número de antenas vai aumentar em dez vezes. Vamos ter mais capacidade de uso e melhor qualidade da ligação.”

 Caio Bianchi, gerente de educação continuada da ESPM, diz que a educação terá papel essencial de capacitar os profissionais a continuar inovando e explorando as potencialidades do 5G.

Leia Também

Para isso, a instituição está abordando já o tema em cursos como “Sociedade 5.0 – AI Economy e os Tempos Pós-Normais”. Em fevereiro fará o masterclass “Perspectivas do Futuro Inteligente — Muito além da inovação”.

“O 5G está chegando para causar mais uma transformação substancial no mercado de trabalho, o que fará com que todas as áreas estejam preparadas para lidar com essa tecnologia. Trabalhamos com o conceito de oferecer capacitação para profissionais em todas as etapas da carreira e da vida.”

A Soulcode Academy, por exemplo, acaba de abrir um curso de “Engenharia de Dados”, que é voltado para todos os profissionais que tenham interesse em migrar de carreira ou iniciar uma nova profissão. Segundo Fabricio Cardoso, diretor geral da edtech, todos os cursos foram desenvolvidos a fim de suprir parte da defasagem brasileira em tecnologia.

“A implantação do 5G será muito importante para o salto tecnológico no Brasil. Temos muitas pessoas que migraram de carreira durante a pandemia e ressignificaram. A área de tecnologia pode ser para todos”, disse Cardoso.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

ECONOMIA

Golpistas miram saque extraordinário do FGTS; veja como se proteger

Publicados

em

source
Dinheiro do saque extraordinário do FGTS vai parar na mão de golpistas. Veja como se prevenir
Reprodução/ Goiânia Band

Dinheiro do saque extraordinário do FGTS vai parar na mão de golpistas. Veja como se prevenir

A possibilidade de saque de até R$ 1.000 do FGTS para 42 milhões de trabalhadores despertou o interesse de fraudadores que, usando a tecnologia e se aproveitando falhas de segurança, conseguiram roubar o dinheiro de consumidores.

A estratégia dos golpistas é usar informações como CPF e data de nascimento para movimentar o saque extraordinário do FGTS no Caixa Tem, aplicativo da Caixa usado para o depósito dos valores.

Entre no canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG 

Eles obtêm dados primários da vítima, acessam o aplicativo, modificam o telefone e o e-mail — que são usados para confirmação de acesso — e sacam ou transferem o dinheiro.

Quando o trabalhador tenta acessar a conta, descobre que uma senha já foi cadastrada em seu nome e que o telefone e o e-mail não são dele, como ocorreu com o engenheiro eletricista Bruno Bernhardt. Ao entrar no aplicativo, diz, o telefone cadastrado não era o seu:

“Tentei fazer a mudança por telefone, mas disseram que minha conta estava cadastrada em vários celulares. Então, a alteração só poderia ser feita na agência. Chegando lá, pediram cópias de documentos que não tinha em mãos e decidi fazer logo o saque para adiantar, mas informaram que já tinham sido feitos dois Pixs totalizando R$ 1.000. Entrei com contestação na Caixa e fiz boletim de ocorrência. Consegui reaver o dinheiro alguns dias depois.

Falha de segurança

Para especialistas, ainda que não seja de interesse do trabalhador sacar o recurso extraordinário de R$ 1.000, a recomendação é acessar o aplicativo Caixa Tem e verificar se já houve um acesso em seu nome, sob risco de perder o dinheiro. Se não houve acesso, o recomendado é fazer o cadastro, para evitar que um fraudador o faça no seu lugar.

Beatriz Castilho Costa, pesquisadora do Centro de Tecnologia e Sociedade (CTS) da FGV Direito Rio, avalia que os dados exigidos no aplicativo da Caixa são muito frágeis e de fácil acesso por terceiros.

“Para lançar o aplicativo, acabaram pulando etapas de segurança e causando transtornos aos usuários. E o banco criou um problema para o consumidor que não pediu para abrir a conta em nome dele. Se houvesse controles mais eficazes, não haveria tantos casos (de golpe). E as pessoas ainda não precisariam ir a uma agência da Caixa para provar que houve uma fraude”, afirma a pesquisadora.

A Caixa informou que, em caso de movimentação não reconhecida pelo cliente, é possível realizar pedido de contestação em uma das agências do banco, portando CPF e documento de identificação. As contestações são analisadas por equipe especializada e, para os casos considerados procedentes, o valor é ressarcido.

A Caixa diz aperfeiçoar continuamente os critérios de segurança de acesso a aplicativos e movimentações financeiras. Também diz observar a maneira de operar de fraudadores e golpistas.

Apesar do grande número de fraudes, o banco alega que “emprega mecanismos múltiplos de proteção e monitoramento”, como validação de dados, autenticação por senha, validação de documentos e segundo fator de autenticação.

Veja orientações para identificar golpe e como agir

  • Informe-se. Consulte o app do FGTS para saber se você tem direito a o saque extraordinário. O resgate pode ser feito até 15 de dezembro. Quem tem direito teve o valor depositado em uma conta digital criada pela Caixa que só pode ser movimentada pelo app Caixa Tem.
  • Cadastre-se. Se o trabalhador não quiser o dinheiro, este voltará a sua conta do FGTS ao fim do período de saque. Mas, mesmo que não solicite os recursos, recomenda-se que ele faça o cadastro no Caixa Tem, para evitar que outra pessoa faça no seu lugar.
  • Sem acesso. Se não consegue acessar o Caixa Tem, se tentou usar uma senha considerada incorreta e percebeu que o e-mail e o telefone não correspondem aos seus, procure uma agência da Caixa. É necessário levar CPF e documento de identificação.
  • Código de entrada. Se o código de acesso não é enviado, é preciso alterar o telefone no cadastro em uma agência.

Continue lendo

MAIS LIDAS