65 99230 9678 | 65 3055 2070

CUIABÁ

Saúde

Queiroga diz que prioridade é ampliar vacinação contra covid-19

Publicados

Saúde


O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse hoje (24) que a prioridade da pasta é ampliar a vacinação contra a covid-19 com a segunda dose e a dose de reforço diante do aumento de casos de contaminação pela variante Ômicron. 

Queiroga participou do programa Sem Censura, exibido pela TV Brasil, e também falou sobre o novo programa lançado pelo ministério para ampliar o acesso de gestantes ao Sistema Único de Saúde (SUS). 

Segundo o ministro, o país deve registrar aumento de casos nas próximas semanas e chegar ao pico de contaminações. Na avaliação de Queiroga, após esse período, poderá ser registrada uma queda rápida, conforme ocorreu em outros países. 

“A prioridade é ampliar a cobertura vacinal com segunda dose e a dose de reforço. O Brasil já tem uma campanha bem sucedida, mas há estados onde a cobertura é baixa, que é justamente na região Norte, a capacidade do sistema de saúde nesses locais é menor”, explicou. 

Além da vacinação, o ministro afirmou que o governo trabalha no fortalecimento das unidades básicas de saúde (UBS) para realizar o tratamento preventivo de outras doenças durante a pandemia. Segundo Queiroga, o investimento na atenção básica aumentou de R$ 17 bilhões para R$ 25 bilhões. O país conta com mais de 53 mil equipes de saúde da família e 41 mil unidades de saúde em todo o país. 

“Nós queremos que a unidade básica de saúde cadastre todos os municípios, que consiga controlar o peso das pessoas, controlar a pressão arterial, combater a hipertensão arterial, o sedentarismo, o tabagismo, o diabetes e saber onde está cada um dos brasileiros”, disse. 

Marcelo Queiroga também falou sobre o programa Cuida Mais Brasil, que foi lançado no início deste mês, para ampliar o acesso de gestantes ao serviço público de saúde. 

“Precisamos reduzir a mortalidade materna, cuidar da pressão arterial das nossas gestantes, cuidar do peso, fazer com que as gestantes não tenham hemorragia. Quem cuida da infância cuida do futuro do país”, comentou. 

O programa Sem Censura vai ao ar às segundas-feiras, às 21h, logo após a novela A Escrava Isaura, com transmissão para todo o país em TV aberta, por intermédio das emissoras afiliadas à Rede Nacional de Comunicação Pública – TV (RNP-TV), gerida pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC) e por outras plataformas, como Facebook, Twitter e Youtube, onde o público pode participar usando a hashtag #SemCensura.

Assista ao programa:

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Fonte: EBC Saúde

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Saúde

Covid-19: cerca de 2 milhões de pessoas no Rio não tomaram 1ª dose

Publicados

em

O Panorama Covid-19, divulgado nesta sexta-feira (24) pela Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro mostra um cenário de desaceleração dos indicadores precoces da doença. Embora os dados ainda apresentem crescimento, já é possível observar uma tendência de queda. A análise considera os dados registrados na semana de 13 a 18 de junho.

O secretário de Estado de Saúde, Alexandre Chieppe, alerta que “aproximadamente 1,5 milhão de pessoas ainda não retornaram aos postos para completar o esquema vacinal primário (2ª dose) e cerca de 2 milhões ainda não receberam nenhum imunizante. 

“A vacina é a melhor forma que temos para prevenir as formas graves e os óbitos por covid-19. Fazemos um apelo para que a população procure os postos de saúde para se vacinar”, afirmou.

De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde, os atendimentos a casos de síndrome gripal nas Unidades de Pronto Atendimento da rede estadual (UPAs) aumentaram 6% em relação à semana anterior. Na semana de 6 a 12 de junho, a média diária de atendimentos foi de 568, sendo 261 pediátricos. Já entre os dias 13 e 18 de junho, a média diária foi de 604 atendimentos, sendo 244 pediátricos.

A nota diz ainda que na última semana, foram realizados em média 6.620 testes de antígeno por dia, sendo a positividade de 34%. Em relação ao RT-PCR, estão sendo analisados em média 370 exames por dia, com positividade de 36%. Na semana de 06 a 12 de junho, a positividade dos testes de antígeno estava em 30% e a dos exames de RT-PCR, em 28%.

Quanto às solicitações de leito para tratamento da covid-19, a média diária foi de 18 para UTI e 13 de enfermaria. Na semana de 6 a 12 de junho, foram 13 solicitações para UTI e 14 de enfermaria. O mesmo padrão pode ser observado no número de pessoas aguardando um leito. A média diária é de 34 UTI e 25 para enfermaria. Importante ressaltar que a fila é dinâmica e, ao longo das 24h, pessoas entram e saem dessa fila.

Para consultar o Panorama Covid, como número de internações, óbitos e taxa de cobertura vacinal, basta acessar o Painel de Monitoramento da Covid-19.

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Fonte: EBC Saúde

Continue lendo

MAIS LIDAS