65 99230 9678 | 65 3055 2070

CUIABÁ

AGRONEGÓCIO

MS acima da média nacional: Em um ano, abate de ovinos cresceu mais de 46%

Publicados

AGRONEGÓCIO


Foto: João Carlos Castro/Famasul

O estado ocupa o 2º lugar no ranking de abates de ovinos da produção nacional, ficando atrás apenas do Rio Grande do Sul.

O número de ovinos abatidos entre 2020 e 2021 cresceu 46,70% segundo levantamento do Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), partindo de 4,3 mil animais para 6,3 mil. No Brasil a porcentagem foi de 25,13% de um ano para o outro.

De acordo com a Embrapa Caprinos e Ovinos o preço do quilograma pago ao produtor rural cresceu 37,18% no mesmo período. “O aumento nos custos de produção contribuiu para a valorização no valor pago ao produtor e foi potencializado pelo incremento na demanda”, explica a analista técnica do Sistema Famasul, Eliamar Oliveira.

Ainda conforme os dados do Mapa, Mato Grosso do Sul ocupa o 2º lugar no ranking de abates de ovinos, com 16,2% da produção nacional, atrás apenas do Rio Grande do Sul que é responsável por mais de 50% do abate brasileiro de ovinos .

O rebanho atual no Estado é de 409,9 mil animais, sendo Corumbá o primeiro lugar com mais de 20 mil cabeças, seguido por Ribas do Rio Pardo com 17 mil animais e em terceiro lugar Bela Vista com mais de 14 mil ovinos.

“O Brasil ainda não tem tradição nas exportações de carne de ovinos, mas em 2021 embarcou para o exterior 62 toneladas e faturou US$ 531 mil, o que representou alta de 11,6% no volume embarcado quando comparado a 2020. Enquanto as importações foram em volume superior a 2 mil toneladas”, destaca, Eliamar.

O coordenador técnico, André Nunes enfatiza que a ovinocultura tem espaço para crescimento. “É preciso que haja um estímulo maior ao consumo dessa proteína, que ainda é apreciada por um público mais restrito”.

ATeG Ovinocultura – A Assistência Técnica e Gerencial do Senar Mato Grosso do Sul atendeu 148 propriedades rurais em 2021 em 29 municípios. Nesse período, mais de 3,6 mil recomendações técnicas foram repassadas aos produtores.

Os técnicos de campo estiveram presentes em mais de 1,5 mil hectares acompanhando 8,5 mil animais. Além disso, a ATeG comercializou 2,5 mil ovinos e 97,5 toneladas até novembro de 2021, totalizando mais de R$ 1 milhão em receita bruta.

“Cerca de 45,2 mil animais foram movimentados em Mato Grosso do Sul, sendo 20% da movimentação destinada para abate. Paraná e São Paulo também realizaram a compra de animais, mas o município que mais abateu e mais movimentou animais foi Campo Grande” finaliza, André.

Fonte: CNA Brasil

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

AGRONEGÓCIO

Rendimentos de trigo produzidos na Ucrânia podem ser reduzidos, enquanto os de milho podem aumentar

Publicados

em

A unidade de pesquisa agrícola SovEcon da Rússia reduziu seu rendimento de grãos ucraniano em 2022 em 1,4 milhão de toneladas, para 20,7 milhões de toneladas. Na temporada de 2021, o valor total registrado foi de 32,2 milhões de toneladas.

Em termos de safra de milho do país, a consultoria aumentou sua previsão em 1,1 milhão de toneladas, para 28,1 milhões de toneladas ante 42,1 milhões de toneladas até 2021.

De acordo com Andrey Sizov, analista do mercado de trigo da região do Mar Negro e diretor da SovEcon, em um relatório enviado aos clientes, os rendimentos do trigo são baixos nas áreas devastadas pela guerra. Soma-se a isso o baixo rendimento de grãos devido à falta de chuvas. “Grande parte das áreas semeadas recebeu apenas 60% e 80% da precipitação normal durante os últimos meses”, disse.

Odessa, uma cidade costeira da Ucrânia na costa do Mar Negro, recebeu menos de 50% das chuvas. “A produtividade atual de cevada de inverno na região, com queda de 50% em relação à temporada anterior, indica que a produção de trigo também provavelmente será baixa”, disse ele.

Por outro lado, a produtividade média do milho aumentou para 6,10 toneladas/hectare de 5,86 toneladas/hectare, e a disponibilidade de insumos agrícolas superou as expectativas.

As condições climáticas são um tanto quanto desfavoráveis devido a ausência de chuvas, lembrou Sizov.

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) estima que a safra de trigo da Ucrânia seja de 21,5 milhões de toneladas e a de milho seja de 25,0 milhões de toneladas.

Fonte: Agroplus.tv

Fonte: AgroPlus

Continue lendo

MAIS LIDAS