65 99230 9678 | 65 3055 2070

CUIABÁ

TJ MT

Humanização: Centro de Atendimento às Vítimas inicia acolhimento de famílias no Fórum de Cuiabá

Publicados

TJ MT

Pessoas que foram vítimas de crimes e atos infracionais em processos julgados na Comarca da Capital já começaram a ser atendidas de forma humanizada pelo setor criado especialmente a elas, no Fórum de Cuiabá.
 
M.S.P., 36 anos, esteve no fórum para buscar encaminhamento psicológico na 2ª Vara Especializada de Violência Doméstica, e foi direcionada ao Centro Especializado de Atendimento às Vítimas de Crimes e Atos Infracionais, localizado no subsolo do fórum.
 
“É bom, fizeram coisas para nos apoiar e acolher. Tem um atendimento diferente, um olhar diferente. Muitas vezes, as pessoas te veem com olhar de julgar. Lá já tem o apoio, onde você se sente mais segura”, afirma.
 
Ela foi até o fórum com o filho de 5 anos, que também foi bem recebido e cuidado com carinho e afeto. “No dia que eu fui, meu filho foi bem atendido, ele se sentiu amado. Qualquer pessoa que ele via no fórum saía abraçando, ele abraçou até o juiz e antes tinha medo de ir lá”, destaca.
 
M. inclusive já indicou o local para uma amiga que também enfrenta os mesmos problemas psicológicos que ela em virtude da violência doméstica, e combinou de levá-la para buscar apoio profissional.
 
O objetivo do setor é acolher de forma humanizada as vítimas enquanto elas estão nas dependências do judiciário. O local oferece atendimento psicológico e encaminhamentos a programas sociais, tanto para as vítimas quanto seus familiares, além do serviço de consulta processual e espaço kids.
 
#Paratodosverem
Esta matéria possui recursos de texto alternativo para promover a inclusão das pessoas com deficiência visual.
Descrição de imagem: Foto horizontal colorida da área interna do Centro Especializado de Atendimento. Em primeiro plano, uma porta de vidro está aberta e tem a logo do centro em azul marinho. Em profundidade, o hall de entrada do Centro, onde se vê uma mesa com computador, uma mesa de centro, tapete e sofá. Uma planta adorna o local. Na parede, há uma faixa grande em azul escrito “Você não está só”.
 
Leia nos links abaixo matérias sobre o Centro Especializado de Atendimento:
 
 
 
 
Mylena Petrucelli/Foto: Alair Ribeiro
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT

Fonte: Tribunal de Justiça de MT

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

TJ MT

Justiça e Universidade de Rondonópolis se reúnem para formar grupo reflexivo para homens agressores

Publicados

em

O Poder Judiciário de Mato Grosso, por meio da Vara Especializada de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher de Rondonópolis, irá firmar parceria com a Universidade Federal de Rondonópolis (UFR) para realizar um amplo trabalho de pesquisa e extensão com homens autores de violência contra as mulheres no âmbito doméstico e familiar.
 
O projeto “Serviço de Educação e Reflexão para homens autores de violência contra as mulheres no âmbito doméstico e familiar – 1ª Edição” foi apresentado pelo professor George Moraes de Luiz, da Faculdade de Psicologia do Instituto de Ciências Humanas e Sociais da UFR, à juíza Maria Mazarelo, titular da vara, na tarde desta terça-feira (09 de agosto), em reunião on-line.
 
George explicou toda a estrutura do projeto, desde os objetivos, operacionalização, conteúdo programático até o cronograma de execução do trabalho, que será realizado por meio de um termo de cooperação técnica que será firmado entre o Poder Judiciário e a UFR, com intermédio da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar (Cemulher) e do Tribunal de Justiça de Mato Grosso.
 
Manejo das emoções, inteligência emocional, reparação de danos, paternidade, sexualidade, relações íntimas, relações de gênero, regras de comportamento, violências vividas e praticadas, Lei Maria da Penha, mecanismos de responsabilização, relação do uso de drogas e violência, sentimentos, autocontrole emocional, aspectos emocionais e afetivos de uma relação a dois e saúde do homem são alguns dos tópicos que serão abordados no projeto.
 
A previsão é que sejam formados grupos de 20 homens, que se reunirão uma vez por semana, em encontros de uma hora e meia, com equipe técnica multidisciplinar composta por estagiários, extensionistas, pesquisadores e profissionais colaboradores das áreas de Psicologia, Serviço Social, Ciências Sociais, Direito e Educação.
 
O projeto abrange 14 encontros, sendo 11 reflexivos, dois destinados a palestras e uma oficina de construção de projeto de vida.
 
“O Tribunal de Justiça está empenhadíssimo nessa causa. Uma das bandeiras da presidente Maria Helena Póvoas é combater a violência doméstica no estado de Mato Grosso. Estamos trabalhando em vários projetos dentro do planejamento estratégico para fomentar isso. O senhor chega em um ótimo momento, estou encantada com o profissionalismo, excelência, e com o conteúdo extremamente rico”, afirmou a juíza Maria Mazarelo.
 
O professor também estruturou o projeto baseado em experiências anteriores de grupos reflexivos de homens desenvolvidos em Várzea Grande, Barra do Garças e Livramento.
 
“A violência é uma construção social. Os grupos reflexivos são uma forma de tentar não haver reincidência, oportunizar o tratamento, acolhimento e a reinserção”, pontuou o professor.
 
#Paratodosverem
Esta matéria possui recursos de texto alternativo para promover a inclusão das pessoas com deficiência visual.
Descrição de imagem: Print de tela horizontal da reunião virtual realizada entre a juíza e o professor. Ao centro a tela de apresentação do projeto, projetada pelo professor, e à direita dois quadrantes onde aparecem as imagens dos dois participantes em vídeo.
 
 Mylena Petrucelli
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT
 
 

Fonte: Tribunal de Justiça de MT

Continue lendo

MAIS LIDAS