65 99230 9678 | 65 3055 2070

CUIABÁ

AGRONEGÓCIO

Exportações do agro somam US$ 9,9 bilhões em dezembro de 2021

Publicados

AGRONEGÓCIO


Brasília (24/01/2022) – As exportações do agro somaram US$ 9,9 bilhões em dezembro de 2021, crescimento de 36,5% em relação ao mesmo mês de 2020, segundo análise da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) com base nos dados do Ministério da Economia.

No acumulado de janeiro a dezembro, as vendas externas totalizaram valor recorde de US$ 120, 6 bilhões, alta de 19,7% na comparação com 2020, alcançando resultado histórico.

A soja em grãos liderou a lista de produtos exportados em dezembro, com participação de 13,8% do total e receita de US$ 1,4 bilhão, aumento expressivo de 1.210,9% em relação ao mesmo período de 2020. O milho foi o segundo produto mais vendido (US$ 795 milhões), apesar da queda em relação a dezembro de 2020 (-12,4%). Completam a lista dos cinco itens mais comercializados o café verde, o farelo de soja e a carne de frango in natura.

O aumento mais expressivo em percentuais nas vendas externas foi para o óleo de soja em bruto, de 1.941,5%, passando de US$ 9 milhões em dezembro/2020 para US$ 183,2 milhões em dezembro/2021. Trigo e farelo de soja também apresentaram bom desempenho, com altas no valor exportado de 211,0% e 79,9%, respectivamente.

Em dezembro de 2021, 65,9% das vendas do agronegócio tiveram 10 países como principais destinos. A China foi o principal mercado em dezembro, com participação de 20,9% do total, seguida por União Europeia (16,3%) e Estados Unidos (9,8%).

Na comparação entre os meses de dezembro de 2020 e 2021, houve também aumento nas exportações para os dez principais destinos de produtos do agronegócio, com destaque para Egito (+102,5%) e Turquia (+98,7%). Em todo o ano de 2021, os maiores crescimentos em termos de mercado foram para o Irã (70,3%), Chile (58,1%) e Estados Unidos (30,2%).

Agro.BR – A CNA também compilou os dados sobre as exportações mensais dos setores prioritários do Projeto Agro.BR, uma iniciativa feita com a Apex-Brasil para aumentar a oferta de produtos do agro brasileiro no comércio exterior e promover a diversificação da pauta exportadora brasileira.

O setor de chá, mate e especiarias foi o que mais se destacou em dezembro, com crescimento de 97% nas exportações na comparação com 2020. Em seguida, aparecem pescados, com aumento de 68,2%, e lácteos, com alta de 17,3%.

Acesse a análise completa no link: Balanca Comercial Dezembro2021

Veja outras notícias sobre o assunto:

Exportações do agro somam US$ 8,4 bilhões em novembro

Assessoria de Comunicação CNA
Telefone: (61) 2109-1419
flickr.com/photos/canaldoprodutor
cnabrasil.org.br
twitter.com/SistemaCNA
facebook.com/SistemaCNA
instagram.com/SistemaCNA
facebook.com/SENARBrasil
youtube.com/agrofortebrasilforte

Fonte: CNA Brasil

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

AGRONEGÓCIO

Agricultores iniciam colheita de pluma de algodão em Mato Grosso

Publicados

em

Os agricultores começaram a colher algodão em pluma, uma das culturas cultivadas em Mato Grosso. Nesta safra, a área plantada aumentou para 1,18 milhão de hectares e, em 2021, foram plantados 960 mil hectares.

A produção deve ser de 278 arrobas de algodão em caroço por hectare, apenas um arroba a mais em relação à temporada do último ano.

No entanto, como a área é grande, o volume de algodão colhido deve crescer e ficar próximo de 5 milhões de toneladas, cerca de um milhão a mais que no ano passado.

Na primeira safra, plantada em dezembro, os resultados são bons, enquanto a segunda safra, plantada em janeiro logo após a colheita da soja, não teve o mesmo efeito. O algodão foi cultivado durante o que foi considerado uma boa estação, mas o clima não colaborou com os produtores.

Em uma fazenda em Novo São Joaquim, a 487 quilômetros de Cuiabá, o resultado foi diferente nesta temporada. Segundo o gerente local, Jackson Ferreira, o algodão colhido ocupa 3.000 hectares, 15% a mais que na safra passada.

No início do ciclo, o clima afetou o crescimento da safra e a taxa média de produção foi de 5% em relação ao ano anterior.

“No ano passado choveu muito durante a janela de plantio e não executamos dentro do ideal. Já neste ano a chuva foi muito boa e conseguimos plantar dentro da janela. Durante o ciclo da cultura a chuva foi bem distribuída, mas a safrinha recebeu bem menos volume. Isso vai afetar um pouco na produtividade do algodão. Esperávamos colher 250 arrobas, mas vai chegar no máximo 230 arrobas”, disse Jackson.

Em uma fazenda em Campo Verde, a 139 quilômetros de Cuiabá, a colheita já começou. Segundo o agricultor Rodolfo Bertani Lopes da Costa, foram plantados mais de 1.500 hectares, sendo 580 em dezembro e o restante no mês seguinte.

“Esse ano choveu antes. Eu terminei o plantio do algodão safrinha em 20 de janeiro. Então foi dentro da janela e, com o preço do algodão, resolvemos aumentar as áreas de sarfinha. Só que tivemos um corte de chuva antecipado e isso ocasionou perda e a perspectiva de produção foi reduzida. A gente esperava produzir 120 arrobas de pluma e agora a produção vai ser por volta de 80 arrobas de pluma por hectare. Este ano estamos trabalhando com 40% de algodão safra e 60% de safrinha”, concluiu.

Fonte: Agroplus.tv  

Fonte: AgroPlus

Continue lendo

MAIS LIDAS