65 99230 9678 | 65 3055 2070

CUIABÁ

Saúde

Covid-19: São Paulo divulga calendário de vacinação para crianças

Publicados

Saúde


Após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ter aprovado hoje (20) o uso da vacina CoronaVac para crianças e adolescentes entre 6 e 17 anos, o governador de São Paulo, João Doria, convocou uma coletiva para apresentar o calendário de vacinação de crianças no estado paulista.

Pelo calendário, as crianças que vivem no estado de São Paulo e tem entre 9 a 11 anos de idade, sem comorbidades, serão vacinadas entre hoje (20) e o dia 30 de janeiro com a primeira dose. Crianças de 5 a 8 anos, sem comorbidades, serão vacinadas entre os dias 31 de janeiro e 10 de fevereiro. 

As crianças com 5 anos só poderão tomar o imunizante da Pfizer/BioNTech, que foi aprovado pela Anvisa em dezembro do ano passado. As crianças com comorbidades, deficiências, indígenas ou quilombolas e que tem entre 5 e 11 anos já estão sendo vacinadas e poderão fazê-lo até o dia 10 de fevereiro.

O cronograma completo de vacinação pode ser consultado no site www.vacinaja.sp.gov.br. O estado de São Paulo tem cerca de 4,3 milhões de crianças com idade acima de 5 anos.

Segundo Doria, a vacinação de crianças vai ocorrer nos mais de 5 mil postos de saúde do estado, além de em 300 escolas.

Vacinado

Pouco antes da coletiva ter início, o estudante Caetano Moreira, de 9 anos, foi a primeira criança do estado a ser vacinada com a CoronaVac, imunizante contra a covid-19 produzido pelo Instituto Butantan e pelo laboratório chinês Sinovac.

Além de Caetano, mais 99 crianças foram imunizadas nesta quinta-feira na Escola Estadual Brigadeiro Faria Lima, na zona oeste da capital paulista.

São Paulo iniciou a vacinação de crianças na semana passada, utilizando o imunizante da Pfizer/BioNTech. A primeira criança a ser vacinada no país foi o menino Davi, um indígena xavante de 8 anos que mora em Piracicaba, no interior do estado de São Paulo. 

Doses em estoque

Até esta quinta-feira, apenas a vacina Pfizer/BioNTech estava aprovada para ser utilizada na faixa etária de 5 a 11 anos. Com a aprovação da CoronaVac para uso em crianças acima dos 6 anos, com exceção das imunossuprimidas, São Paulo vai poder adiantar o seu calendário, já que tem 15 milhões de doses desse imunizante armazenadas e disponíveis para uso. 

Com essa quantidade de doses, São Paulo conseguirá imunizar todas as crianças acima dos 5 anos que vivem no estado e ainda repassar o restante das doses [o que daria cerca de 7 milhões de doses] para o Ministério da Saúde, caso ele deseje utilizá-las na campanha de vacinação no restante do país. 

Caso o ministério não queira adquirir essas doses, elas poderão ser repassadas para os governos estaduais que desejarem adquiri-las. De acordo com Doria, as crianças de São Paulo serão vacinadas no prazo de três semanas.

A vacina CoronaVac que será aplicada nas crianças é a mesma que foi utilizada em adultos. São duas doses, com intervalo de 28 dias entre elas. Já a da Pfizer/BioNTech tem uma dosagem menor para essa faixa etária, foi aprovada para crianças acima dos 5 anos e é aplicada no prazo de oito semanas. 

Aumento de internações

Ontem (19), em entrevista coletiva, Doria informou que a vacinação para crianças é fundamental já que o estado observou um aumento de 61% nas internações em estado grave de menores de 18 anos nos últimos dois meses. 

Segundo o governo paulista, no dia 15 de novembro de 2021 existiam 106 pacientes menores de 18 anos internados em estado grave no estado de São Paulo por causa da covid-19. Já na última segunda-feira (17), esse número subiu para 171 internações em unidades de terapia intensiva (UTI). 

Edição: Fábio Massalli

Fonte: EBC Saúde

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Saúde

Covid-19: cerca de 2 milhões de pessoas no Rio não tomaram 1ª dose

Publicados

em

O Panorama Covid-19, divulgado nesta sexta-feira (24) pela Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro mostra um cenário de desaceleração dos indicadores precoces da doença. Embora os dados ainda apresentem crescimento, já é possível observar uma tendência de queda. A análise considera os dados registrados na semana de 13 a 18 de junho.

O secretário de Estado de Saúde, Alexandre Chieppe, alerta que “aproximadamente 1,5 milhão de pessoas ainda não retornaram aos postos para completar o esquema vacinal primário (2ª dose) e cerca de 2 milhões ainda não receberam nenhum imunizante. 

“A vacina é a melhor forma que temos para prevenir as formas graves e os óbitos por covid-19. Fazemos um apelo para que a população procure os postos de saúde para se vacinar”, afirmou.

De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde, os atendimentos a casos de síndrome gripal nas Unidades de Pronto Atendimento da rede estadual (UPAs) aumentaram 6% em relação à semana anterior. Na semana de 6 a 12 de junho, a média diária de atendimentos foi de 568, sendo 261 pediátricos. Já entre os dias 13 e 18 de junho, a média diária foi de 604 atendimentos, sendo 244 pediátricos.

A nota diz ainda que na última semana, foram realizados em média 6.620 testes de antígeno por dia, sendo a positividade de 34%. Em relação ao RT-PCR, estão sendo analisados em média 370 exames por dia, com positividade de 36%. Na semana de 06 a 12 de junho, a positividade dos testes de antígeno estava em 30% e a dos exames de RT-PCR, em 28%.

Quanto às solicitações de leito para tratamento da covid-19, a média diária foi de 18 para UTI e 13 de enfermaria. Na semana de 6 a 12 de junho, foram 13 solicitações para UTI e 14 de enfermaria. O mesmo padrão pode ser observado no número de pessoas aguardando um leito. A média diária é de 34 UTI e 25 para enfermaria. Importante ressaltar que a fila é dinâmica e, ao longo das 24h, pessoas entram e saem dessa fila.

Para consultar o Panorama Covid, como número de internações, óbitos e taxa de cobertura vacinal, basta acessar o Painel de Monitoramento da Covid-19.

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Fonte: EBC Saúde

Continue lendo

MAIS LIDAS