65 99230 9678 | 65 3055 2070

CUIABÁ

Entretenimento

CNN explora culinária de país africano devassado pelo genocídio

Publicados

Entretenimento


source
Daniela Filomeno viajou a Ruanda para seu programa na CNN Brasil
Divulgação/CNN Brasil

Daniela Filomeno viajou a Ruanda para seu programa na CNN Brasil


A terceira temporada do CNN Viagem e Gastronomia estreia no sábado (29) na CNN Brasil. A apresentadora Daniela Filomeno percorreu lugares incomuns nesta edição, como Ruanda, país africano devassado pelo genocídio da etnia tutsi nos anos 1990.


Daniela Filomeno se emocionou ao conhecer o Memorial do Genocídio, onde conversou com um sobrevivente. “É muito triste, mas a gente precisa saber, porque é uma história de vida. Eles nos ensinam como aprenderam a perdoar e isso foi uma lição para mim”, disse.

Leia Também

Ruanda se destaca como um dos principais destinos turísticos de conservação e sustentabilidade. Num safári no Akagera National Park, a equipe conheceu o Big Five, conjunto dos cinco grandes animais da África (leão, elefante, leopardo, rinoceronte e búfalo).

Daniela Filomeno conta que um dos momentos de grande emoção foi o encontro com uma manada de 60 elefantes em busca de água. A hospedagem no parque encantou a apresentadora: “O hotel fica no meio do parque. Você fica hospedado numa tenda de frente para um lago cheio de hipopótamos, você acorda com eles, vai dormir com o barulho deles. É um misto de medo e fascinação você estar ali, olhando para eles num lago.”

Os outros episódios da terceira temporada foram gravados no Brasil e nos Estados Unidos, e revelam o lado pouco conhecido de algumas cidades. O programa vai ao Rio de Janeiro para um passeio exclusivo por dentro da estátua do Cristo Redentor. Depois de desfrutar da vista espetacular a partir do braço do monumento, Daniela Filomeno percorre os melhores restaurantes com estrelas Michelin da cidade. O roteiro nacional ainda passa por São Paulo, Minas Gerais e Manaus.

O CNN Viagem & Gastronomia é exibido aos sábados, às 21h, na CNN Brasil.

Fonte: IG GENTE

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Entretenimento

‘All Star Shore’: Marina e Rick apimentam reality internacional

Publicados

em

Marina Gregory e Ricardo Salusse intergam elenco do reality internacional
Reprodução

Marina Gregory e Ricardo Salusse intergam elenco do reality internacional “All Star Shore”

Os amantes de reality já podem comemorar! O motivo? O Paramount+ lança a primeira temporada do “All Star Shore” na quinta-feira (30). O programa junta diversas personalidades polêmicas dos realities mais famosos do mundo. Para representar o Brasil na competição internacional, o programa convocou Marina Gregory e Ricardo Salusse.

Veterana de reality, Marina Gregory conquistou a fama ao se tornar a primeira campeã do reality da Netflix “The Circle Brasil”, em 2020. Após alcançar o topo no programa de competição, a carioca se aventurou na curtição da segunda temporada do “De Férias com Ex: Celebs”. Conhecida por “mandar a real”, Marina é uma boa aposta para apimentar o novo reality.

O influenciador Ricardo Salusse, integrante do “Rio Shore”, versão do programa que adotou o cenário carioca, também está escalado. Para ele, a pegação é que dita as regras do jogo e isso ficou claro após o participante beijar o ‘chefe’ da segunda temporada do “Rio Shore”, o Rico Melquiades.

Conhecida por não ter ‘papas na língua’, Marina reconhece que teve uma participação polêmica no “De Férias com Ex”. No novo reality, as expectativas refletem a energia do passado.

“Imagina você juntar vários outros realities, com várias personalidades diferentes, pessoas do mundo inteiro, culturas diferentes também. Foi uma experiência incrível. Acho que eu e Ricardo, a gente trouxe essa pimenta do Brasil lá para dentro, a cerejinha do bolo e foi incrível”, aponta.

No trailer divulgado pelo Paramount+, os telespectadores mais ansiosos conseguem visualizar o que o reality traz nessa temporada. No curto vídeo, Marina é filmada no meio de uma discussão com Chloe. Durante a briga, a brasileira arremessa o líquido que tem na taça em direção a veterana do “Geordie Shore”.

“Eu tenho muito disso, de deixar a vida me levar. Eu vivi aquele reality como se não houvesse o amanhã e vocês viram aí né?”, comenta aos risos.

Além de brasileiro, Rick também abre a discussão da representatividade LGBTQIA+ nos realities de pegação. O participante comparou a experiência do Shore com a de outros programas de confinamento. 

“No ‘Rio Shore’, que a gente fez na rua mesmo, […]  a gente podia ir para balada, podia ir para festas, já foram outros ‘quinhentos’. Porque eu mesmo chegava na pessoa chamava assim e partiu. Aí já vai no talentinho do pai, agora, realmente quando vivemos na bolha, no fechado, já é uma coisa mais complicada. Mas assim, já estamos botando o pé na mesa. Estamos aí abrindo espaço, mostrando que a gente veio para isso mesmo, botar a cara a tapa”, reflete. 

Na nova participação, Marina e Rick são obrigados a conviver com outros participantes de realities, entre eles Angelina do “Jersey Shore”, Chloe do “Geordie Shore”, Gianinna do “Casamento às Cegas: EUA” e Karime e Caballero do “Acapulco Shore”.

Com o intercambio cultural, alguns perrengues também acontecem, como uma dificuldade na hora de se comunicar. “O pior é o sotaque. O sotaque do pessoal do Geordie, nossa senhora”, comenta Rick. “[Eles] falam muito cantado, mesmo a gente tendo inglês fluente, às vezes, quando a gente falava com eles [era difícil entender]”, completa Marina.

“Depois, quando elas falavam uma palavra eu entendia e pegava o contexto. Aí, conforme a gente ia acostumando e também foi melhorando”, relata.

Além da diferença linguística, Marina e Ricardo também tiveram que lidar com os esteriótipos criados do brasileiro. Os participantes contam que precisaram atravessar pela desinformação dos colegas gringos.

“Não senti tanto levando para o mal caminho, mas foi assim, uma falta de informação da parte deles, sobre o que era o Brasil, como a gente vive, perguntas do tipo ‘se a gente vive no meio da Floresta’, ‘Que idioma vocês falam’, essas coisas assim, mas é um estigma básico que a gente está acostumado a conviver”, analisa Ricardo.

“A gente tentou tirar um pouco dessa [falsa idealização], explicar realmente para eles como que é o Brasil, como que é de verdade. Mostramos um pouco da nossa cultura também”, completa Marina.

No meio de diversas nacionalidades, Marina e Ricardo acabaram se aliando aos vizinhos latinos. A dupla conta que as semelhanças favoreceram a conexão. “A gente ficou bem envolvido, a gente ficava brincando ser a ‘Latino Gang’”, declara Rick.

“Latino Gang foi muito importante pelo simples fato de que a cultura é praticamente a mesma. É muito parecida, então, ali já traz aquele calor humano, aquele coração quentinho do nosso país. Penso que nós reforçamos muito essa ‘Latino Gang’ que ficou para sempre”, entrega Marina.

Na segunda temporada do “Rio Shore”, Ricardo e o vencedor de “A Fazenda 13”, Rico Melquiades, tiveram um breve envolvimento. Questionado se o affair o teria apoiado na nova empreitada televisiva, Ricardo revela a estratégia.

“Zíper na boca! Eu não falo nada para ninguém, o pessoal só descobriu quando saiu a divulgação. Eu não falei nada para ninguém […] E quem tem que me apoiar sou eu mesmo”, completa.

Apesar de não ter comentado com Rico a novidade do “All Star Shore”, Ricardo avalia a participação no “De Férias com Ex” e outros realities com o vencedor de “A Fazenda”. “Eu iria. Me chamando, eu vou para qualquer lugar”, comenta.

Animada para a estreia do programa, Marina deseja que o reality seja renovado para uma nova temporada. O primeiro episódio de “All Star Shore” estreia na quinta-feira (30), no Paramount+, e às 23h do mesmo dia, na MTV.

Fonte: IG GENTE

Continue lendo

MAIS LIDAS